BNDES vai financiar para pessoas físicas até 80% do valor em equipamentos de energia solar

/ / Notícia

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) flexibilizou o Programa Fundo Clima, permitindo que pessoas físicas também financiem pelo programa a instalação de sistemas de geração de energia e aquecimento. O principal objetivo é motivar as pessoas a investirem mais em sustentabilidade e em energia limpa, gerando economia de eletricidade.

Segundo o Banco, as pessoas terão acesso a financiamentos para a instalação de sistemas de aquecimento solar, incluindo placas fotovoltaicas, aerogeradores, usinas de biogás e os equipamentos necessários para as instalações. O presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Dr. Rodrigo Sauaia, declarou que as novas condições de financiamento estão entre as mais competitivas do mercado para projetos de energia solar fotovoltaica.

O BNDES confirmou financiamentos de até 80% dos sistemas solares fotovoltaicos com equipamentos novos produzidos no Brasil, com taxas de juros entre 4,03% e 4,55% ao ano, prazo de amortização de até 12 anos e carência de até 2 anos. O custo financeiro do Fundo Clima é reduzido tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas, por exemplo: empresas, prefeituras, governos estaduais e produtores rurais. Atualmente, as condições em questão tornam o Banco como uma das melhores opções disponíveis no Brasil para projetos solares fotovoltaicos, promovendo a produtividade do país.

A primeira fase do programa vigora até 28 de dezembro de 2018. Estão disponíveis mais de R$ 300 milhões em recursos orçamentários. De acordo com informações sobre o programa, caso a demanda supere o valor disponível, uma nova fase do programa poderá ser realizada. O financiamento será concedido principalmente pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e por Bancos de Desenvolvimento Regionais e Estaduais, em todo o território nacional.

De acordo com os responsáveis, cada empresa ou pessoa interessada poderá obter até R$ 30 milhões por ano para financiar. Segundo o BNDES, essa mudança amplia as oportunidades de investimentos em energia limpa. Rodrigo Sauaia, menciona que o investimento em um sistema solar fotovoltaico é recuperado pelo consumidor em cinco a sete anos, utilizando equipamentos nacionais com garantia de performance com pelo menos 25 anos.

As novas condições de financiamento do Programa Fundo Clima oferecem para os consumidores residenciais, comerciais, industriais, rurais e públicos o investimento na tecnologia sem ser preciso utilizar recursos próprios e ainda pagar pelos sistemas com a economia de energia elétrica. O diretor Rodrigo ainda aponta que o interesse da população, de empresas e também de gestores públicos em aproveitar a energia solar fotovoltaica é uma tendência em crescimento constante.

Rodrigo Sauaia concluiu que o investimento em energia solar fotovoltaica, atualmente, possui uma motivação muito mais econômica do que somente ambiental: à medida em que viabiliza boa redução de gasto e economia de dinheiro, contribui na prática para a construção de um Brasil mais sustentável.

FONTE  https://www.portalsolar.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + dezoito =